Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Um assunto muito falado atualmente é sobre os riscos ESG e, claro os socioambientais presentes nas organizações, pois os insucessos estão sendo cada vez mais comuns caracterizados por perdas financeiras com acidentes de trabalho e acidentes socioambientais.

Depois de um grande acidente este assunto vem sempre à tona infelizmente como caso da explosão em Mariana, Brumadinho e Beirute entre muitos exemplos.

E por esse motivo o gerenciamento de riscos socioambientais vem ampliando a cada dia para ajudar mais os empreendedores a lidar com esses riscos atingindo assim o sucesso organizacional.

Os riscos envolvem incertezas e perdas, sendo assim qualquer segmento têm algum risco.

Fundamental existir um responsável por administrá-lo, sendo necessário que ele seja capaz de identificar problemas concretos, de preferência com sua probabilidade e impactos que poderão ocorrer.

Os riscos estão ligados diretamente as operações, onde realmente se concretizarem durante a execução, causando ameaças aos planos, atrasos nos cronogramas e aumento dos custos.

Através de três componentes pode ser feito a análise: pelo evento, pela probabilidade e pelo impacto.

Mas, geralmente os gerentes se concentram em evitá-los, pois é conhecido como um evento de consequências negativas, pois envolvem custo, tempo e qualidade, se esquecendo que os riscos podem ser positivos, que a partir de um risco pode surgir uma oportunidade.

Muitas vezes o analista encontra nas ameaças novas oportunidades de negócios, pois na maioria dos casos o que significa risco para uma empresa pode caracterizar oportunidade para outra.

Projetos precisam ser bem geridos por profissionais capacitados, estes devem estar preparados para qualquer eventualidade que ocorrer sabendo como contorná-los sem ter que parar ou comprometer todo o projeto.

O Gerenciamento de riscos socioambientais é algo que merece muita atenção e que as empresas devem se planejar antecipadamente para que os riscos não causem grandes impactos comprometendo o sucesso.

Como realizar uma boa gestão de riscos?

Primeiramente, é muito importante entender o real motivo dos acontecimentos, para facilitar o processo.

O primeiro passo é planejar o gerenciamento dos riscos, ou seja, antes mesmo de saber quais são os riscos, você deve planejar como vai encontrá-los e estar preparado para tomada de decisões;

O segundo passo é identificar todos os riscos do seu projeto, elaborando uma lista, podendo assim verificar o que pode dar certo ou errado, nessa etapa precisa haver comprometimento e ajuda através de informações.

O terceiro passo é a qualificação dos riscos através de duas análises:

Análise qualitativa: é a priorização dos riscos, dar atenção aos que tem grande probabilidade de ocorrer ou que podem causar grandes impactos ao projeto, pois não é possível tratar dos detalhes de todos.

Análise quantitativa: esta análise demonstra o impacto de tempo e dinheiro que os riscos causam ao projeto, fornecendo números, dias, horas e valores que a empresa terá caso ocorram os riscos.

Diante estas três etapas:

Planejar;

Identificar e Qualificar.

Podemos então iniciar a execução da gestão, não se esquecendo que se precisa gerenciar após a aplicabilidade das etapas, para visualizar se está ocorrendo tudo conforme planejado.

Durante a execução de sua gestão novos riscos, pequenos ou grandes aparecerão.

 O sucesso virá através do gerenciamento constante feito durante toda a vida desde projetos novos a continuação das operações

O tema tratado abrange diversos outros, mas, por enquanto neste artigo fica o entendimento de que não gerenciar os riscos é o maior risco.

Gerir riscos socioambientais é gestão de alto nível.

Estamos juntos

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *