Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

A jornada para buscar a excelência em QSMS-RS & Sustentabilidade e uma cultura de segurança proativa é o objetivo de qualquer gestor de qualquer segmento da econômico.

Organizações precisam de uma estratégia concisa e bem comunicada de como obter e repetir grandes resultados, e um roteiro para saber exatamente o que eles fizeram para chegar lá.

 Executivos das melhores empresas mantêm uma mentalidade cultural de que a melhoria contínua é sempre possível e permite a flexibilidade quanto a condições de negócios, demanda do consumidor, tecnologia, regulamentos e obstáculos não planejados que ameaçam mudar a organização.

Como agora esse covid 19.

É durante esses momentos de verdade quando a cultura de segurança de uma organização é testada.

Pois estão todos preocupados com um novo fator que os afeta psicologicamente

  • Será que os colaboradores voluntariamente realizam o trabalho com segurança sempre, mesmo se as demandas mudam?
  • Será que um mecânico deliberadamente caminha para a outra extremidade para buscar uma escada em vez de estar em uma cadeira conveniente para trabalhar em altura, e ele vai tomar os 90 segundos necessários para realizar uma inspeção de segurança visual antes de subir?
  • O colaborador usa corretamente os óculos de segurança quando lida com produtos químicos?
  • A turma da manutenção noturna pratica bloqueio para executar com segurança a manutenção de rotina quando a equipe de gestão está dormindo em casa?
  • Os executivos lideram a força de trabalho por exemplo?

Em uma entrevista sobre nível de maturidade com um Diretor da organização, este mencionou:

“Estamos em uma indústria de alto risco.

Nossos procedimentos e instruções de trabalho cuidam principalmente dos grandes riscos, mas mesmo assim acidentes continuam, não entendo “

 O verdadeiro sucesso ou fracasso do nosso desempenho de segurança é diretamente proporcional ao fato de se os colaboradores possuem a atitude certa para tomar voluntariamente precauções de segurança sobre os riscos ou não.

Se eles não fizerem a escolha certa a cada momento, eles introduzem riscos e falham em seu momento da verdade.

É fácil subestimar a influência que uma única decisão ruim tem sobre a cultura de segurança de uma organização.

Encontramos em nossos clientes situações aonde, estes, acreditam que sua taxa de acidentes baixa está correlacionada com as atividades de trabalho realizadas com segurança e contribuem para o sucesso.

“Estamos fazendo todas essas coisas e ninguém se machuca, portanto, tudo o que estamos fazendo deve ser seguro “

 Não tão rápido, por favor!

 Uma coisa é conseguir Kpis desejados, e outra é sustentá-lo.

É preciso um mergulho mais profundo com um foco intenso sobre se ou não a organização está realmente fazendo as coisas certas para sustentar uma trajetória favorável.

As organizações com um programa de segurança tradicional apenas medem indicadores do que aconteceu, concluindo que precisam falhar menos.

As com visão ampliada coletam dados sobre a frequência de precauções voluntariamente tomadas visando riscos de baixa probabilidade para evitar lesões

A frequência de precauções tomadas, conhecida como “100% seguro”, é um indicador da saúde da cultura de segurança de uma organização.

Quanto maior o percentual de segurança, os colaboradores tem menor chance de se acidentar por riscos de baixa probabilidade em suas tarefas.

Assim como uma única gota de água não cria uma inundação, uma única decisão ou ação não determina a cultura.

Colaboradores quando escolhem voluntariamente tomam as precauções para substituir um único comportamento de risco com uma alternativa mais segura, contribuem para fortalecer a cultura.

Agora eu pergunto meu colega;

Coletivamente, todos os níveis da organização assumem a responsabilidade de ser responsável por sua própria segurança?

Será que eles tomam as precauções certas quando ninguém está assistindo para diminuir a probabilidade de ser ferido por um risco de baixa probabilidade?

A cultura da sua empresa apoia os colaboradores que falam quando identificam riscos ou os punem por isso?

Responda você??

Estamos juntos!

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *