Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Você sabe qual a relação entre aspectos socioambientais e procedimentos operacionais?

Você já se perguntou sobre a aplicabilidade dos requisitos do seu SGA para controle operacional?

 Quais procedimentos você precisa para cumprir esses requisitos de controle operacional e como eles se relacionam com os aspectos ambientais?

 Você realmente precisa ter procedimentos para tudo o que você faz?

O controle operacional é realmente necessário?

As respostas para algumas dessas perguntas podem surpreendê-lo.

Em um texto recente sobre decidir quais procedimentos documentar no SGA, falei sobre quando é necessário ou não, de como criar um procedimento documentado para o controle operacional ambiental de seus processos.

 Mencionei que um processo que libera águas residuais no esgoto pode precisar de uma “Diretriz para a gestão de águas residuais e esgotos”, mas se você não tiver resíduos perigosos (ou não fosse um aspecto ambiental significativo), então você não precisaria de uma “Diretriz para o manejo de substâncias perigosas”.

 A organização deve decidir por si mesma qual é a definição de significante, e escrever um procedimento adequado em conformidade.

No entanto, e se nenhum dos seus aspectos socioambientais for significativo?

Aspectos socioambientais são as maneiras pelas quais sua organização interage com o meio ambiente, e estes são fundamentais na avaliação de quais controles operacionais são necessários para sua gestão.

Os requisitos dependem de três critérios principais para a criação de um procedimento de controle operacional:

  • Associação das operações com aspectos socioambientais significativos
  • Falta de controle pode se desviar da política ambiental
  • Falta de controle pode desviar-se dos objetivos e metas

Quando você tem uma operação que tem aspectos socioambientais significativos, você precisa identificar e planejar essa operação para ser coerente com sua política ambiental, e seus objetivos e metas ambientais, para garantir que sejam realizados em condições especificadas.

Isso é feito estabelecendo, implementando e mantendo um procedimento documentado para controlar essas situações e estipular critérios operacionais no procedimento.

Fica claro quando você tem uma operação onde você tem um aspecto ambiental significativo. Para esses casos, é necessário ter controle operacional.

É claro que você não precisa de um procedimento documentado para cada operação que fizer para atender a esses requisitos, apenas aqueles com aspectos socioambientais significativos.

 A questão que resta é se é possível ter uma situação em que nenhuma dessas operações tenha aspectos socioambientais significativos.

É verdade que a organização precisa identificar o que constitui significado para seus aspectos socioambientais identificados; no entanto, para fins de certificação, esses critérios precisam ser justificados aos auditores de um órgão certificador que revisarão seu sistema de gestão ambiental para o cumprimento dos requisitos da ISO 14001.

Isso pode ser um exagero, mas eu diria que seria possível ter uma organização sem aspectos socioambientais significativos, embora eu pense que este é um caso muito raro.

Um exemplo que eu poderia pensar seria uma pequena organização especializada em produzir códigos de computador para clientes com a suposição de que eles alugam seus computadores e não precisam descartá-los.

Essa organização poderia potencialmente identificar aspectos socioambientais, mas não os identificar como tendo impactos significativos.

Assim, poderia ser possível, mas não necessariamente provável, que tal organização pudesse existir sem aspectos ambientais significativos e, portanto, sem procedimentos de controle operacional para a conformidade com o SGA.

Se você identificou operações com um aspecto socioambiental que você considera significativo, então você precisa ter procedimentos para controlar essas operações.

 Esses aspectos são frequentemente identificados em uma das seguintes categorias:

  • Emissões para o ar
  • Liberações para a água
  • Liberações para terra
  • Uso de matérias-primas e recursos naturais
  • Usos da energia
  • Emissão de energia como calor, radiação ou vibrações
  • Resíduos e subprodutos
  • Atributos físicos da organização que afeta o meio ambiente e as comunidades a sua volta.

Lembre-se, a razão para implementar um sistema de gestão ambiental é não agradar um órgão de certificação ou encontrar maneiras de evitar a documentação.

Um sistema de gestão ambiental está lá para ajudar sua organização a identificar e controlar suas interações com o meio ambiente e comunidades

Se essas interações têm o potencial de causar impactos negativos, então faz sentido ter os procedimentos em vigor para estipular adequadamente os critérios necessários para controlar as situações operacionais.

Dessa forma, você pode evitar o impacto negativo, e é por isso que você tem o seu sistema de gestão ambiental em vigor.

Estamos juntos!

Leia mais