Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Leio com muita tristeza a notícia de que mais uma organização encerra suas operações por questões socioambientais!

Reputação socioambiental Zero! = Investidores fugindo! ( exemplos só este ano temos vários)

E o pior de tudo que publicava relatórios de Sustentabilidade, e dizia está dentro do processo ESG.

Quantas mais irão fechar nesse Brasil a fora?

Análise de risco socioambiental? Não sei do que se trata !

Triste…., o impacto econômico vai ser enorme!!!!!!!!!!!

ESG / SUSTENTABILIDADE CORPORTIVA É COISA SÉRIA e são para profissionais!

NÃO É SÓ COMUNICAÇÃO / MARKETING em relatórios de sustenabilidade que são verdadeiras obra de artes

Vejo nesses encontros, de entrega de prêmios e palestras com uma superficialidade muito grande, e isso me preocupada e muito, pois acaba iludindo muito o publico e caminhamos para um green washing.

Nunca como em nenhuma outra época o homem tentou reverter o quadro de degradação ecológica em que se encontra a Terra.

Pois para alguns já perdemos tempo que não se recupera mais.

https://robertoroche.carrd.co/

Pela primeira vez na história, os estudiosos relacionaram os problemas sociais, econômicos e ambientais.

Sim, “DESATRES AMBIENTAIS CAUSAM DESASTRES ECONÔMICOS”, exemplos não faltaram, vejam em um passado recente e agora de novo (Barcarena/PA, Mariana, Brumadinho /MG e muitos outros).

Ao mesmo tempo em que assistimos povoados serem arrasados pelos desastres socio ambiental, os mesmos pedem que a organização volte a funcionar, pois são fonte financeiras para eles.

A crise global escancara a necessidade real de garimpar as soluções que viabilizem a construção de uma sociedade sustentável.

Trata-se de um olhar diferenciado nos processos para gerenciar o mundo. Esse despertar passa pelo conceito de proteção ao meio ambiente.

Empresas e a sociedade civil organizada tentam consolidar maneiras próprias de fazer o bem. Qualquer ação, por menor que seja, enriquece o universo que se busca através do exercício da cidadania.

A boa notícia brota dentro de algumas grandes corporações independente da atividade econômica e até pequenos negócios, pois as próprias organizações assumem o comando dessa transformação.

“O que hoje é opcional ser uma empresa ESG / Sustentável um dia será obrigação”, esse pensamento tem sido cada vez mais refletido pelos executivos em suas empresas.

As corporações americanas e europeias já apresentam seu negócio aliado à missão de boa governança, econômica, social e ambiental (ESG) em um mesmo pacote.

Enquanto americanos e europeus desfrutam dos benefícios em adotar a Sustentabilidade Corporativa como fator estratégico para o sucesso dos negócios, o movimento ainda se mostra tímido no Brasil.

Siga me no Instagram  Siga me no Twitter Siga me no Facebook Siga me no Youtube

No entanto, há iniciativas valorosas, principalmente quando as ações focalizam o meio ambiente e a responsabilidade social aqui no Brasil.

Os empresários tornaram-se proativos, embalados principalmente pela asfixia pela qual passa o planeta, e por pressão da opinião pública.

Afinal de contas, não há mais como suportar que as tantas mil toneladas de gás carbônico permaneçam diariamente no ar, produzindo o efeito estufa e o danoso aumento da temperatura terrestre.

Muito menos que o desmatamento destrua as florestas e sepulte milhares de espécies animal e vegetal, sem falar de a quantidade de resíduos perigosos serem depositados sem o menor critério em qualquer sitio.

Ao importar para cá os “cases” de sucesso, constatou-se que o desenvolvimento estruturado numa política de Sustentabilidade desperta o bem-estar das pessoas.

A responsabilidade socioambiental, e sua gestão transformaram-se assim num compromisso corporativo com a comunidade.

Dentro das organizações, as políticas de recursos humanos, engenharia, o QSMS-RS, por exemplo, funcionam diante de um conjunto de metas único.

Não é mais admissível o conflito entre produção e ser Sustentável, foi se a época em que produção torcia o nariz para o pessoal de QSMS-RS.

Blog : Roberto Roche

Hoje, persuasão e liderança como exemplo são fundamentais para todos estarem alinhados com o negócio e sustentabilidade, pois sem este não existiria este debate.

O foco é no negócio e com sustentabilidade corporativa, ponto final.

Desde a escolha da matéria-prima até o destino final dos resíduos líquidos, sólidos e gasosos, calcula-se o equilíbrio entre o empreendimento rentável, mediante a uma gestão sustentável adequada.

São ações que gerenciam os efeitos colaterais dos agentes poluidores, previnem as tragédias ambientais, promovem a qualidade de vida e saúde dos funcionários e da população, divulgam uma boa imagem no mercado, gerando mais lucros, na medida em que reduzem gastos e custos operacionais.

ESG/Sustentabilidade Corporativa é uma questão de prevenção a impactos sócio econômico!

Não existe mais espaço para o questionamento a respeito, e quanto mais gestores de sustentabilidade estiverem agindo nas grandes corporações mais ouviremos falar sobre inovação, eficiência e em redução custos.

Sem existe alguma dúvida por parte das organizações?

 Boa sorte e fortes emoção virão!

Estamos juntos!

ntos

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *