Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Melhorar o retorno do capital geralmente significa reduzir os custos operacionais por meio do gerenciamento aprimorado dos recursos naturais (como uso e desperdício de energia) e gerenciar sistematicamente as cadeias de valor.

Vejamos alguns exemplos com nossa experiência como consultores;

Uma organização do varejo nossa cliente, por exemplo, gerou alguns milhões de reais em economia na cadeia de suprimentos por meio de um “scorecard” de embalagens que reduziu a suas utilizações em toda a cadeia de suprimentos da empresa.

Além disso, as organizações podem agregar valor melhorando a retenção de funcionários através do alinhamento de objetivos, aumentando os preços ou alcançando maior participação de mercado com produtos sustentáveis ​​novos ou existentes.

Ao revisitar seus portfólios de negócios, as organizações podem determinar o impacto potencial de tendências que podem levar a novas oportunidades de crescimento ou segmentos de clientes com necessidades não atendidas.

Por exemplo, ao avaliar o ciclo de vida dos produtos siderúrgicos, nossa cliente inova através do desenvolvimento de ofertas que minimizam os impactos ambientais negativos do aço.

 Uma outra está ganhando uma parcela significativa das vendas em novos mercados em potencial, adotando uma variedade de modelos flexíveis de preços para medicamentos patenteados em países menos desenvolvidos com doenças não tratadas, tornando-os acessíveis a clientes sem comprometer a lucratividade.

Um melhor gerenciamento dos riscos socioambientais que surgem de questões de sustentabilidade corporativa começa com a detecção dos principais riscos de interrupções operacionais decorrentes das mudanças climáticas, escassez de recursos ou problemas com a comunidade.

 Diante de possíveis restrições de oferta, uma organização de produtos alimentícios por exemplo, lançou um plano em que coordena atividades para promover o cacau sustentável:

Produzindo milhões de plantas mais fortes e produtivas nos próximos dez anos, ensinando aos agricultores locais métodos eficientes e sustentáveis, comprando feijão de fazendas que usam práticas sustentáveis ​​e trabalham com organizações para ajudar a lidar com questões como trabalho infantil e acesso precário a cuidados de saúde e educação.

De fato, as organizações existem para atender a uma necessidade do mercado que cria as condições para a sustentabilidade financeira.

No entanto, a ação sobre os desafios da sustentabilidade corporativa não está em desacordo com o crescimento econômico.

 De fato, vários exemplos mencionando acima mostraram que fazer da sustentabilidade o ponto de partida da estratégia de negócios faz muito sentido.

 Modelos de negócios sustentáveis ​​desfrutam de mais benefícios, como impulsionar inovações disruptivas, explorar novas oportunidades, reduzir riscos e incertezas e criar um senso de propósito em toda a organização.

Assim, a incorporação de valores ambientais e sociais na base da estratégia de negócios é a resposta para lucros e crescimento duradouros e a chave para um negócio à prova de futuro.

As organizações mais sustentáveis ​​são as que tornam a maneira sustentável o curso normal dos negócios.

Estamos juntos!

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *