Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Gestão de Responsabilidade Socioambiental na Indústria da Mineração, e agora que o ESG está batendo na porta?

Como gestor de ESG / QSMS-RS e Sustentabilidade em atividades de mineração tanto na África, Mongólia e Amazônia.

A preocupação em minimizar os impactos socioambientais sempre foi uma de nossas prioridades e maiores preocupações.

Quem é de mineração raiz, sem mimimi acadêmico sabe muito bem do que estou falando

Uma vez um “evento ocorrido”, a confusão está estabelecida, veja agora mineradoras correndo atrás do prejuízo da imagem do setor, POR FALTA DE GESTÃO!!

Aíííí assistimos o corre e corre que vemos hoje, aqui mesmo pelo linkedin.

– Contratando gestor de riscos, gestor de emergência, gestor de comunidades, mais simulados, plano de comunicação etc

– E as consultorias agradecem, é claro e rsrsr

E não podemos esquecer, haja mídia ($$$) para limpar barra!

E por que não fizeram antes???

FALTA DE GESTÃO DE RISCOS DE IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS?

FALTA DE GESTÃO DE ESG / QSMS-RS & SUSTENTABILIDADE?

Triste, más um fato!

Voltando ao nosso texto;

Uma vez em um projeto começando do zero, nossa equipe pegou um helicóptero para chegar ao local onde íamos começar nosso canteiro etc.

Não foi nada planejado, não podíamos e não tínhamos o direito de cair no meio socioeconômico deles como alienígenas sem pedir permissão, perguntar e começar a operar.

Isso seria uma total falta de respeito com a sociedade local, e foi o que aconteceu, uma tremendo equivoco de nossa parte em gestão com comunidades

ERREIIIIIIII!!!

“Quando pousamos, fomos recebidos a pedradas e flechadas e de acordo com os interpretes me chamavam de alienígena “, que sufoco!

Em um dos empreendimentos em que participei na África tínhamos sob nossa responsabilidade nada mais que 63 comunidades, entre tribos bem primitivas e pequenas cidades ribeirinhas.

Escutar primeiros seus anseios eram fundamentais e tratar de termos uma convivência agradável era primordial.

Sempre gostei de tratar com as comunidades e mesmo tendo uma das melhores equipes de relações comunitárias em nossa equipe, gostava de estar presente e na frente.

Os impactos socioambientais de um site de mineração, são grandes, um mineroduto de grande extensão que de repente corta km’s pela mata e passa dentro destas comunidades é bem invasivo.

E ainda passei pela experiência de construir uma ferrovia para escoar o minério que atravessava três países com cultura e língua distintas, fora N dialetos também.

No qual tivemos de remover algumas dessas comunidades e alocá-las em regiões que as vezes não eram a escolhida por eles.

Todo respeito com elas e entender seus problemas era fundamental no dia a dia.

A equipe de relações comunitárias tinha que ser habilidosa em lidar com esses fatores e depois desenvolver trabalhos que fossem benéficos a comunidade e que passassem a conviver com nossas operações.

Sempre tive muita sorte em me cercar de excelentes profissionais desta área.

Não adianta muito dizer em seus websites que tem ISO, realizam trabalhos com prêmio reconhecidos e quando você vai auditar escuta um caminhão de reclamações das comunidades de como foram ou são tratadas e possuir uma penca de ações na justiça.

Os valores de uma empresa “verdadeiramente Sustentável”, governam suas decisões!!!

O conjunto de valores baseados no respeito com o meio ambiente somado com a interação contributiva com a sociedade inserida neste, é o que podemos chamar de sustentabilidade empresarial.

É um valor cada vez mais importante nas organizações e no meio empresarial.

É preciso equilibrar o desenvolvimento econômico com a proteção ambiental e o desenvolvimento social.

A indústria de mineração é uma das variáveis de maior exponencial nesta equação.

Tanto promove o desenvolvimento socioeconômico das regiões onde está presente, quanto causa eventualmente os maiores danos ambiental, com reflexos graves na sociedade ali inserida.

É preciso, portanto, estar atento aos limites impostos pelos ecossistemas com a busca incessante da eficiência na gestão ambiental e na prática da responsabilidade social corporativa.

O modelo de gestão corporativa com base apenas na obtenção de resultados econômicos está fadado ao insucesso nos dias de hoje.

As empresas estão cada vez mais adotando um modelo administrativo que privilegia o conceito de responsabilidade social corporativa, procurando aprofundar o relacionamento com as partes interessadas, preservar o meio ambiente e adicionar valor à comunidade.

A indústria da mineração vem enfrentando transformações significativas nas últimas três décadas, obrigando as empresas a considerar o impacto socioambiental provocado por suas atividades produtivas.

O meio ambiente e competitividade hoje não são mais antagônicos, empresas já perceberam que preservar o meio ambiente pode ser um bom negócio não só pela imagem da instituição perante a mídia, mas como uma questão de sobrevivência conservando os recursos naturais.

A adoção de uma gestão de QSMS-RS e Sustentabilidade efetivo voltado para a responsabilidade socioambiental em inúmeras empresas tem alterado o comportamento anteriormente adotado pela administração, cuja preocupação era tão somente atender aos requisitos das leis e normas.

Nota-se que as organizações estão cada vez mais adotando uma gestão que privilegia o conceito de responsabilidade social corporativa, procurando preservar o meio ambiente e adicionar valor à comunidade.

A responsabilidade social das empresas tem como fundamento o princípio do desenvolvimento sustentável, razão pela qual o progresso social, a proteção ambiental e o desenvolvimento econômico são seus elementos interdependentes e inseparáveis, tudo isso para garantir as presentes e futuras gerações uma sociedade mais próspera e justa, com uma melhor qualidade de vida, procurando minimizar os impactos ambientais negativos e maximizar os efeitos positivos advindos de sua atividade.

A produção social da riqueza na modernidade traz como consequência a produção social do risco sendo o principal efeito a crescente exposição do homem a riscos de contaminação ambiental até então não observados, os quais ameaçam também os ecossistemas.

A indústria da mineração tem considerado os aspectos preventivos de controle ambiental como estratégicos para a sua sobrevivência empresarial.

Adequar-se à legislação ambiental vigente e suas normas estabelecidas pelas agências de controle ambiental não são mais suficientes, fazendo com que diversas empresas apresentem desempenho superior ao exigido pelas normas ambientais, demonstrando assim atitude proativa com relação ao meio ambiente.

Cada vez mais a indústria está experimentando e assumindo riscos para enfrentar os desafios socioambientais.

Trata-se de processo muito complexo e que não se pode permitir retrocessos.

Os erros devem ser encarados como fator imponderável do processo de aprendizagem.

Como os acidentes, que infelizmente acontecem na indústria são uma combinação de causas que vão desde decisões gerenciais até falhas humanas e dos equipamentos.

É necessário que sejam desenvolvidos, além de um sistema de gestão que contemple a gestão ambiental também um gerenciamento de risco aliado a uma cultura preventiva nas organizações capaz de evitar decisões e ações que possam desencadear os eventos de grande impacto socioambiental.

Estamos juntos!

Leia mais