Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Muitas organizações não entendem o motivo.

“Sempre deu certo, sempre foi assim”.

 É com essa afirmação que um dos nossos clientes, começou em nosso Quick off para atualizar seu sistema de gestão.

Utilizam todas as filosofias que existem no mercado, copiam as ações que dão mais marketing e acham que possuem especialistas no seu quadro.

Haja reunião e encontros, gestão a vista, SIPAT, SIPATMA, semana disso e daquilo e mais quadros de gestão para todo lado, mas ainda assim, continuam rasgando dinheiro em treinamentos e novos softwares.

E acidentes acontecem, vazamentos de óleo e produtos químicos, rompimento de barragens, etc.

Onde foi que nós erramos.

Papel aceita tudo, quantas vezes você já ouviu essa frase.

 Acredito que muitas, certo?

Em especial, em época de auditorias, onde encontramos pura hipocrisia , onde meses antes,  aquele corre corre para arrumar papel, depois os auditores no papel deles  “me engana que eu gosto “, e depois uma grande celebração para certificações  e recertificações no LinkedIn ,sem mencionar uns $$$$ gastos para a certificadora .

E uma grande e triste verdade no mundo empresarial, que muitas lideranças estão preocupadas em fazer bonito enquanto a coisa está pegando fogo.

Agora, questione-se: O papel aceita tudo, mas quem preenche o papel?

Pessoas!

Muitas organizações estão preocupadas com a aparência de serem preocupadas com SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE, O SOCIAL E AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE, mas não dão atenção para a essência da filosofia.

Não existe uma mentalidade para uma cultura forte e enraizada em seu DNA.

Dar a devida importância ao QSMS-RS & Sustentabilidade, é atitude.

 É ter sentimento de dono pelo negócio, executando as tarefas de forma consciente, e não por obrigação ou por ser a nova moda divulgada pelos marketeiros da comunicação.

O maior obstáculo para o desenvolvimento em qualquer ambiente é a mente.

Quer um exemplo crítico?

A alta gerência não ter a mentalidade necessária faz com que todas as suas iniciativas como líder de um programa de melhoria pareçam gastos ou firulas.

Outro exemplo crítico?

Pessoas utilizando as ferramentas como robôs, e não por estarem engajados em extrair o melhor de seus postos de trabalho.

A dificuldade em trabalhar os pensamentos das equipes, para que elas mudem da visão tradicional para a visão enxuta do negócio, pode ser também um belo diagnóstico de que a cultura da empresa já é deficiente diante dos objetivos do negócio.

É sinal de que a troca de horas por mão de obra não está equilibrada, e tudo está sendo feito muito mais pela necessidade de um salário ao final do mês do que por uma parcela de propósito e engajamento.

Se pensar de forma básica, no bem comum da empresa já se mostra uma tarefa difícil, imagine então incorporando ferramentas e pensamentos mais avançados.

A gestão de QSMS-R S & Sustentabilidade é feito de pessoas.

 Ferramentas devem ser usadas pelas pessoas, e não as pessoas serem usadas pelas ferramentas.

Cuide delas e elas cuidarão do seu negócio.

Estamos juntos!

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *