Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Desde a primeira vez que ouvi a palavra Sustentabilidade ainda como gerente júnior em QSMS e até chegar a vice-presidente de ESG.

Realizo como as visões mudaram;

Antes era só recurso naturais, meio ambiente em geral e o pessoal da biologia (anos 70 e 80)

Agora está entranhado em todas as áreas, e passou a ser multiprofissional, ainda com alguns me engana que eu gosto, mas está no caminho certo (assim eu espero).

É um investimento alto? Sim, e tem que dar retorno!

Precisa que o conselho de a ordem para investir em uma Sustentabilidade Corporativa de verdade? Sim!

O mercado exige? Hummmm, mais ou menos, pois o preço final influi bastante na decisão de quem compra, não se pode negar!

Mas está aí e indo com relativa velocidade a mudança para produtos mais sustentáveis.

E claro, é uma grande preocupação das maiores multinacionais que vendem bebidas e alimentos industrializados, pois estes são os maiores poluidores a sua volta

Sustentabilidade no contexto corporativo passou da fase de séria “bom ter”, para uma necessidade imprescindível de estar embutida na estratégia das corporações.

E porque investir em uma gestão de sustentabilidade corporativa?

Ser uma empresa considerada Sustentável fortalece a reputação.

Passa ser um ativo intangível, é um patrimônio, uma garantia em época de crises e de grande vantagem competitiva no mercado global.

Os valores de uma organização já não são mais somente mensuráveis apenas por seus recursos materiais, questões intangíveis como competências e habilidades dos seus colaboradores, marcas, reputação e imagem da empresa compõe a sua medida de valor.

Um deslize ético relacionado à falta de preocupação com o meio ambiente e as comunidades a sua volta (exemplos não faltam ultimamente), econômicas, ou ao relacionamento com os seus clientes, é suficiente para colocar em risco o patrimônio da empresa e, principalmente, a confiança dos seus stakeholders.

E é aqui que entra o tema da sustentabilidade como grande aliado das organizações que a tem como valor.

São diversas as razões que levam a organização a adotar práticas e discursos sustentáveis, dentre elas, a principal decorre das pressões advindas do seu público de interesse.

A acirrada concorrência e clientes no mercado global cada vez mais exigente e inflexível com questões ambientais são algumas das causas que impulsionam as empresas a preocuparem-se cada vez mais com este assunto, levando-as a inserirem fortemente este valor em suas práticas.

As organizações que perceberam a importância deste tema em seus negócios, praticam o que se nomeia como desenvolvimento sustentável, o que resumidamente seria aliar o desenvolvimento econômico do negócio a questões de preservação ambiental, social e cultural.

Estamos assistindo empresas fecharem suas portas por falta de água em São Paulo e outras rezando para não tenham que aumentar sua produtividade, pois existe a possibilidade de falta energia.

As que por infelicidade foram protagonistas de acidentes ambientais então …….

Atualmente, a sustentabilidade como valor, vem sendo utilizada como ferramentas das grandes organizações para conquistar negócios e atrair novos clientes.

Ao passo que investem em causas ambientais, elas têm a possibilidade de aumentar a produtividade, a confiança e, aderências daqueles que compartilham as preocupações com as causas que a organização defende, assim, consequentemente, veem os seus lucros aumentados graças aos seus projetos de inovação na área de sustentabilidade.

Em uma análise nas bolsas de valores para averiguar o desempenho obtido pelas empresas consideradas de alta e baixa sustentabilidade, os resultados demonstraram que as empresas de alta sustentabilidade têm desempenho financeiro melhor do que as de baixa sustentabilidade.

São consideradas como sustentáveis, as empresas que possuem esta cultura internalizada nas estratégias e nas operações do negócio.

Chegaram à conclusão que esse desempenho correlaciona-se principalmente com o perfil das empresas de alta sustentabilidade, pois elas possuem uma governança diferente das demais, onde é tratada como responsabilidade direta da diretoria sendo fundamentada em premissas, atuando com pro atividade e transparência, sendo os investimentos orientados como um Valor inegociável por qualidade, segurança do colaborador, segurança socioambiental além das razões econômicas.

Ser sustentável não é mais opcional para quem quer ter uma marca forte e sobreviver neste mercado global tão competitivo.

Estamos juntos!

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *