Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Existem diversos modelos de configuração de um PAE, e cada organização tem uma filosofia de interpretar a gravidade dos impactos (infelizmente).

Gostaria de dar algumas sugestões, a vocês colegas quando for revisar ou elaborar começando do zero seu PAE para qualquer área ou situação.

Seguem algumas sugestões de quem já errou e apanhou muito por não estar preparado;

Vamos juntos;

 Quais são os seus riscos socioambientais e suas consequências (recomendo o BOW TIE)?

Se você tem uma gestão de risco para impactos socioambientais, essa pergunta será respondida quase que naturalmente.

 A própria análise de riscos vai te mostrar que alguns riscos tem impactos gravíssimos e não podem ser completamente eliminados.

Espero que até esse momento você já atuou para eliminar, mitigar etc., quase todos.

 Mas mesmo assim existem alguns pontos que precisam ser minimizados em caso do evento.

Agora, o trabalho é estudar os efeitos, ou seja, aquilo que irá acontecer se o risco acontecer.

Cada efeito pode requerer um tipo de atividade, planejamento ou tarefa diferente.

Dessa forma, essa fase é básica, pois é partindo daqui que suas ações irão ser planejadas.

Quando (e se) esse risco ocorrer, o que podemos fazer para minimizar ao máximo seus efeitos?

Nesse momento, é possível fazer um brainstorming, por exemplo, para levantar tudo que pode ser feito para minimizar os impactos.

 É preciso pensar, no que pode ser feito depois que acontecer o evento!

Acontecendo um evento, o que podemos fazer para minimizar os impactos socioambientais?

Nesse ponto não existe nada melhor que o BOW TIE   e respondendo esse tipo de perguntas, chegamos ao “o que precisa ser feito” e passamos para a próxima fase.

Quais barreiras vamos criar para mitigar antes do possível evento para nos preparar?

Nesse ponto, faremos o plano de ação que vai preparar tudo que for necessário para o PAE.

Perceba que esse não é o PAE em si, apenas o planejamento dele.

Para que todos os recursos estejam disponíveis quando necessário, e isso é fundamental para evitar bater cabeças na hora do evento.

Como vocês podem enxergar, agora depois dessas breves sugestões de como revisar ou elaborar um PAE está dividido em dois aspectos maiores:

1º Criar um plano para executar quando o risco incidir;

2º Preparar antecipadamente a organização para ser capaz de executar esse plano depois do evento.

Eu sei que essa é uma recomendação universal, que serve para quase todos os contextos.

Mas vale a pena ressaltar! Se você está elaborando um PAE baseado em seus riscos socioambientais já elencado em sua análise é porque algo bastante sério pode pôr sua organização em risco.

 Lembrando o engajamento dos colaboradores tanto da sua equipe de QSMS-RS & Sustentabilidade bem com da organização ligadas ao processo faz toda diferença.

Em alguns casos, inclusive, será preciso de muito estudo e competência técnica para mapear os impactos dos riscos socioambientais e propor ações.

Não envolver as pessoas pode dificultar ainda mais as coisas.

Criando mais problemas tanto na hora de definir ações quanto na comunicação do PAE para a organização.

Estamos juntos

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *