Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Não é preciso dizer sobre a importância do agronegócio para o Brasil e suas exportações, apesar da mídia só se lembrar deste segmento quando a economia do país não vai bem ou para culpar quanto a desmatamento e queimadas, triste e injusto.

Agora trabalhando na região de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, de Rondonópolis a Três Lagoas, é impressionante a força do Agro e me desculpem os críticos, a turma com quem eu trabalho é muito preocupada sim, com a gestão socioambiental.

Mapeio stakeholders, realizo projetos sociais com as comunidades e atualizo os PGRs e PAEs, fora treinamentos e palestras.

São todos muito bem conectados e antenados com a questão socio ambiental.

Lembrando que é um segmento que sempre existe demanda para mão obra, é a economia que empurra o país e por aí vamos.

Mas será que, temos a ideia de tão quanto é difícil o agronegócio em ser produtivo? E as exigências do mercado global para este segmento?

Não é um mercado fácil para exportar e como qualquer outro segmento da nossa economia, cada dia mais as demandas do mercado quanto as questões de proteção ao meio ambiente, ser um produto sustentável e de qualidade são alguns dos requisitos exigidos.

A importância de possuir um sistema integrado (SGI) QSMS-RS e Sustentabilidade se faz necessário.

A gestão isolada dos sistemas de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde e Responsabilidade Social, podem significar uma série de desvantagens para a organização nos mais variados níveis, podendo dar origem a um sistema de gestão demasiado complexo, confuso.

Além destes aspectos a manutenção isolada dos sistemas, representa custo, alocação de pessoal para atender os requisitos de cada sistema.

Um sistema integrando a Gestão da Qualidade, Segurança, Meio Ambiente, Saúde e Responsabilidade Social, uma vez implantado corretamente, minimiza e aperfeiçoa os processos e os componentes dos vários sistemas, criando um único sistema de gestão, centrando as atenções para um conjunto único de procedimentos, que associam as áreas de interesse.

E estes sistemas são os pilares para uma Sustentabilidade Corporativa !

Há um bom tempo em que as empresas vêm adotando ferramentas de qualidade, como 5S, qualidade total, ISO 9000, para gerenciar seus negócios e adquirirem melhoria de desempenho dentro do mercado que atuam.

Entretanto as exigências atuais dos clientes deste mercado global não se restringem apenas à questão relacionadas com o produto final, mas também com o processo de produção e as consequências dele para a sociedade, como ser um produto com produção que não agrida ao meio ambiente.

Desta forma as empresas do agronegócio sentiram a necessidade de gerenciar outros fatores como:
Sustentabilidade Corporativa;
A questão sobre a prevenção a acidentes socioambientais;
O relacionamento com as comunidades;

As questões relacionadas com a qualidade de vida, segurança e saúde dos trabalhadores.

Da mesma forma que a gestão pela qualidade, esses fatores também têm que atender padrões já estabelecidos como normas ISO.

E outras normas que sugiram dentro dos países de forma geral, com o objetivo de garantir que as normas ambientais e de respeito à saúde e segurança dos trabalhadores sejam respeitadas.

Atualmente as empresas não estão utilizando somente o gerenciamento pela qualidade baseado nas normas ISO 9000.

Mas também atuando na gestão ambiental baseada na norma ISO 14001, na gestão da saúde ocupacional e segurança no trabalho baseado na especificação ISO 45001, e na norma ISO 26000 de responsabilidade social de forma integrada.

É assim que surge o SGI, Sistema de Gestão integrada ou QSMS-RS.

O SGI visa unir o atendimento às normas de forma simultânea para os pontos comuns, como, por exemplo, no processo de aquisição deve ser verificado tanto as especificações técnicas, como as especificações ambientais e de saúde e segurança no trabalho.

E incluir os valores não contemplados em alguma norma de forma que sejam vistos como um só processo de garantia de qualidade.

Ressalto que o conceito de qualidade desta forma se amplia, pois, o cliente não leva somente em conta as características do produto ou serviço, mesmo que esse já contemple um valor agregado.

Ele também busca uma maior coerência ambiental e uma garantia que não está comprado de empresas que não respeitam os seus funcionários e o meio ambiente.

Embora pareça utopia, ou até demagogia, pois algumas empresas utilizam essas ferramentas apenas para se destacarem no mercado (green washing), sem a real conscientização do assunto, é notório de que é uma realidade que está se tornando cada vez mais presente na nossa sociedade.

E mesmo não conseguindo fazer que o atendimento a esses requisitos seja algo decorrente de uma conscientização real dos nossos gerentes, só o atendimento aos requisitos legais já é um grande passo, principalmente para o Brasil.

Atenção, auditorias de SGI contemplando todas as normas acima mencionadas e outras legislações aplicadas, são cada vez mais constantes na cadeia de fornecedores.

Já presenciei muitas empresas perderem seus clientes de exportação, por causa da reprovação nessas auditorias de SGI (QSMS-RS), não estarem dentro dos princípios do Equador etc.

Estamos juntos !

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *