Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

Desde que regressei ao Brazil tenho realizado muitas auditorias de Sustentabilidade, revisão relatório GRI, implantando os princípios do Equador e Padrões IFC ,  e muita, mas muita due diligence socioambiental e M&A .

E sempre logo de cara pergunto, onde está sua matriz de risco da organização?

E …, bem, as respostas são as de sempre, para que? por que?

A gestão do risco se faz necessária e é parte integrante da Sustentabilidade Corporativa e Governança seja em qualquer tipo de atividade econômica independentemente do tamanho.

Em atividades de alto impacto socioambiental como a de óleo e gás, mineração e construção civil pesada onde passei maior parte de minha vida profissional, não existe zona de conforto para o gestor responsável da área.

Gestão da prevenção a acidentes socioambientais, do trabalho e ter equipe preparada para emergência ambiental é inegociável por onde passo em minhas gestões.

Temos que dar tranquilidade e confiabilidade aos acionistas para sustentar o negócio.
Tendo uma governança corporativa forte e efetiva onde a cultura de segurança e prevenção é tida com um VALOR na empresa, a probabilidade de acidentes é bem reduzida, e acontecendo, estamos preparados para qualquer eventualidade de uma pronta resposta a emergência eficaz.

A prevenção e a gestão de riscos a acidentes ambientais fazem parte da gestão de QSMS-RS que são os pilares de uma gestão de sustentabilidade empresarial.

Estes departamentos estando alinhados e conscientes de sua responsabilidade com a produção, facilitam uma boa gestão de riscos.

Em uma corporação moderna não existe mais espaço para conflitos entre produção e gestão de QSMS-RS e Sustentabilidade.

Algumas empresas infelizmente ainda não possuem a cultura de QSMS-RS como visão estratégica do gerenciamento de risco socioambiental, mas é uma necessidade imprescindível neste mundo globalizado e uma sociedade cada vez mais consciente e sabendo o que deseja para as gerações futuras.

Ainda, pouco se observa uma real preocupação com os riscos ambientais, mesmo passando por mais e mais desastres quase todos os anos (falta de água em São Paulo, derrames de óleos em portos e nos últimos em MG ), a falta de preocupação e de profissional com experiência para a gestão de risco ambiental ainda é uma realidade no setor empresarial e quanto à experiência em gestão crise em acidentes, também se vê poucos.

Sendo assim, qualquer iniciativa no sentido de minimização de riscos e melhoria das condições de trabalho deve ser considerada válida e enraizada o mais rápido possível por empresas que possuam consciência de seu valor social e tem preocupação com sua reputação.

Na gestão a prevenção a acidentes ambientais a importância de conhecer os riscos inerentes a certos comportamentos e tomar as medidas necessárias para dissolvê-los é fundamental.

A prevenção deve ser encarada como um investimento inteligente e não apenas como um custo.

Uma gestão efetiva do risco requer condições de governabilidade que permitam a aposta em aplicação de políticas de redução de riscos de desastres.

Pergunto: Quanto vale a imagem de uma organização após um acidente ambiental? E a do profissional responsável da área de Sustentabilidade e QSMS-RS?

A matriz de risco e seus estudos analíticos são primordiais para a elaboração de planos de prevenção, preparação e resposta rápida a acidentes ambientais.

Desta forma, a gestão de risco socioambiental se faz essencial para, além auxiliar na tomada de decisão e no monitoramento de obrigações legais, manter a integridade do meio ambiente, garantir a saúde financeira e imagem empresarial.

Em resumo, a prevenção e o gerenciamento de riscos ambientais devem ser parte integrante da governança corporativa de uma organização.

A necessidade de uma gestão prospectiva do risco ambiental que privilegie os investimentos responsáveis em prevenção é fundamental.

Prevenir sempre é melhor que remediar que digam as organizações que passam por alguma situação de um acidente ambiental.

Negócios sustentáveis dão retorno financeiro e de imagem, já está mais que demonstrado.

Nada como uma boa gestão de risco ambiental para garantir esta tranquilidade!

Estamos juntos!

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *