Gestão em QSMS-RS e Sustentabilidade

A cultura da empresa ganhou um novo significado à medida que os protestos rondam cidades em todo o mundo e o pedágio do COVID-19 devasta as economias locais.

Há muito tempo um sinal dos valores e prioridades de uma organização, iniciativas de responsabilidade social corporativa, ou RSC, têm adicionado importância à luz dos eventos atuais.

As ações que as empresas tomam hoje terão um impacto duradouro na forma como comunidades, clientes e funcionários veem o negócio.

A RSC não é uma coisa nova. Suas raízes remontam às décadas de 1950 e 1960 como forma de determinar o impacto que as empresas têm na sociedade.

Desde então, progrediu como forma de voluntariamente incentivar a responsabilidade social por parte das grandes empresas.

 Em 2010, a ISO, uma organização independente e não-governamental criada para desenvolver um sistema de padrões da indústria, criou a ISO 26000 com a RSC em mente.

A norma ISO 26000 foi projetada para esclarecer o significado da responsabilidade social e ajudar empresas e organizações a traduzir seus princípios em insights acionáveis.

Ao contrário de outras normas ISO, a ISO 26000 forneceu orientação, não requisitos e a adesão a ela não pode ser certificada.

Independentemente disso, as empresas de uma ampla gama de indústrias usam a ISO 26000 para desenvolver suas próprias políticas de RSC.

Eu recomendo aos colegas que escolham entre ferramentas existentes, como a ISO 26000, para medir o que é significativo em vez de inventar seus próprios sistemas.

São anos trabalhando com ela, e assino embaixo

Assisto muita gente, dizer que se você não pode medir algo, você não pode gerenciá-lo.

Felizmente, existem ótimas ferramentas para utilizar, incluindo ISO 26000 e GRI, por exemplo

Até janeiro de 2020, o foco da RSC era tipicamente o aquecimento global, a ação climática, sustentabilidade, adesão aos princípios e esforços de diversidade e inclusão voltados à construção de uma imagem corporativa gentil e empática.

Como se tornou mais conhecida, a RSC foi aceita como parte integrante da gestão de um negócio de sucesso.

Colaboradores, clientes e acionistas esperam mais das marcas do que uma simples transação e consideram cada vez mais fatores ambientais, sociais e de governança, ou ESG para abreviar.

Os investimentos orientados ao ESG são agora a área que mais cresce nos mercados financeiros”.

 Sabemos que quando o CEO da Black rock, gestor de ativos de US$ 7 trilhões, diz a seus stakeholders que eles devem abraçar os relatórios do ESG que o propósito e o lucro estão indissociáveis que a RSE não é mais uma parte marginal dos negócios ou do vestuário de janelas.”

A crise global do COVID-19 impactou e mudou o jogo.

 A RSC mudou o foco da sustentabilidade e da ação climática para a forma como as empresas trataram os funcionários durante a crise e estendeu uma mão amiga para a comunidade.

Eventos recentes podem ser vistos como um sinal para o mundo dos negócios, pressionando os líderes a engajar as partes interessadas em questões sociais e ficar do lado certo da história.

A RSC serve como um manual para as empresas fazerem exatamente isso, para que essas tragédias recentes elevem a importância da RSC e das empresas que se intensificam para fazer a diferença enquanto lucram.

Quando as organizações tomam decisões alinhadas com sua moral e princípios, especialmente diante das adversidades, ela mostra que seu caráter e valores são autênticos.

 Os clientes terão mais chances de fazer negócios com uma empresa que tem um propósito claro.

 Os colaboradores que se identificarem com os ideais e objetivos de sua empresa terão maior probabilidade de permanecer nessa empresa.

E as comunidades estarão com empresas que ajudaram a mantê-las à tona em momentos de problemas.

Organizações devem permanecer focados em seus valores e competências fundamentais.

O propósito é saber o que não fazer quanto o que fazer

 “As organizações têm pouco tempo e recursos e há compensações.

Uma líder perspicaz entende essas trocas e reconhece que não pode fazer tudo.

 Em vez disso, ela coloca suas energias em onde ela pode fazer a maior diferença.

Qualquer organização pode emitir uma declaração, mas se as práticas principais de negócios não forem benéficas para a sociedade, a RSC passa ser uma grande mentira.

Uma vez que a RSC é sobre ser responsabilizada por acionistas, clientes e funcionários, uma empresa deve decidir o que sua RSC cobrirá e como isso afeta a sociedade, bem como o resultado final.

Embora o foco possa mudar, os princípios fundamentais usados por muitos anos para desenvolver iniciativas eficazes de RSC não mudaram à medida que os eventos de 2020 se desenrolaram.

 As organizações devem reconhecer e focar em questões importantes para stakeholders, clientes, clientes e colaboradores.

Comece perguntando aos seus stakeholders o que é significativo ou material e comece a medir e relatar sobre isso.

E então construa a partir disso à medida que você ganha resultados e feedback dos acionistas.

Do ponto de vista dos colaboradores, a cultura importa.

A maioria quer sentir orgulho de sua empresa e do trabalho que fazem.

 Colaboradores que trabalham para uma organização socialmente consciente são mais aptos a ser leais a essa empresa, advogar para o negócio e ficar mais tempo.

 Eles serão mais engajados, mais produtivos e terão um maior sentimento de realização.

“Todos sabemos em nossas entranhas se estamos realmente sendo atendidos por uma marca, como seus funcionários, clientes e/ou acionistas”, não existe mias bobinho

A RSC é um composto de valores e princípios acionáveis que orientam a forma como uma empresa faz negócios.

Pode incluir práticas empresariais como diversidade e inclusão, voluntariado, licença maternidade e paternidade e financiamento filantrópico para organizações locais, regionais ou nacionais sem fins lucrativos.

Organizações precisarão ir mais fundo para repensar seus modelos e propósitos para afetar a mudança que precisamos agora.

O desenvolvimento de eventos dá ao público a chance de ver quais empresas realmente caminham.

 Os consumidores estão se tornando mais conscientes do fato de que o uso dos produtos ou serviços de uma corporação apoia a RSC desse negócio.

Ter a RSC no lugar não é apenas prático por razões de negócios, ajuda também a desempenhar um papel positivo e vital na vida dos colaboradores, clientes e comunidade.

Então, meus colegas do RSC foquem a um propósito social mais elevado, como justiça social ou mudança climática ou empoderamento de mulheres e meninas, e você será o melhor para isso, assim como seu resultado final

Estamos juntos!

Publicado por Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *