Notice: Trying to get property of non-object in /home/robertor/public_html/wp-content/plugins/wordpress-seo/frontend/schema/class-schema-utils.php on line 25

Empresas de Energia, Óleo & Gás e Mineração e sua responsabilidade socioambiental perante as comunidades.


Notice: Undefined offset: 1 in /home/robertor/public_html/wp-includes/media.php on line 68

Empresas de Energia, Óleo & Gás e Mineração e sua responsabilidade socioambiental perante as comunidades.

Independente do segmento econômico e de toda sua cadeia logística , o que quiserem crescer, necessitam investir em uma gestão de Sustentabilidade Corporativa e QSMS-RS.

O que demanda cultura corporativa sólida, disciplina para melhorar sua eficiência e relacionamento com a comunidade.

Atuando há muitos anos em empresas nestes segmentos, servindo a essas corporações contribuindo no resultado, reduzindo a pegada ambiental e com segurança.

Não conheço nenhuma operação no mundo que conseguiu se viabilizar sem o consentimento da comunidade.

E a importância de se ter um estudo socioeconômico “real “, implantar projetos sociais, monitoramento destes, e incluir a comunidade em seus planos de emergência, tem sido crucial entre tantos requerimentos para viabilizar o ativo.

Por parte da organização, se requer liderança para motivar a equipe e a todos colaboradores a executarem tal missão principalmente em lugares remotos onde normalmente costumam ser as operações!

Se a empresa tiver como missão gerar valor para a sociedade, é necessário ir mais além, quando os executivos incorporam a questão de sustentabilidade como algo estratégico.

Somente quando todos mudam sua maneira de pensar é que conseguimos fazer transformações que queremos e necessitamos.

Acredito firmemente, e é o que mais me motiva a desenvolver nosso trabalho é de como é importante realizar uma boa gestão de sustentabilidade alinhada com a produção sem perder o foco no resultado do negócio.

Em como ela pode ser aperfeiçoada continuamente para minimizar os impactos negativos e maximizar a contribuição positiva para comunidades locais e a sociedade em geral.

O conjunto de valores baseados no respeito com o meio ambiente somado com a interação contributiva com a sociedade inserida neste, é o que podemos chamar de sustentabilidade.

É um valor cada vez mais importante nas organizações e no meio empresarial.

É preciso equilibrar o desenvolvimento econômico com a proteção ambiental e o desenvolvimento social.

A indústria de petróleo por exemplo e sua logística quanto a terminais marítimos e de apoio é uma das variáveis de maior exponencial nesta equação.

Tanto promove o desenvolvimento socioeconômico das regiões onde está presente, quanto pode causar eventualmente os maiores danos ambiental, com reflexos graves na sociedade ali inserida.

É preciso, portanto, estar atento aos limites impostos pelos ecossistemas com a busca incessante da eficiência na gestão ambiental e na prática da responsabilidade social corporativa.

O modelo de gestão corporativa com base apenas na obtenção de resultados econômicos está fadado ao insucesso à sociedade não aceita mais e os acionistas compreenderam bem.

As empresas estão cada vez mais adotando um modelo de gestão Sustentável que privilegia o conceito de responsabilidade social corporativa, procurando aprofundar o relacionamento com as partes interessadas, preservar o meio ambiente e adicionar valor à comunidade.

Os segmentos de energia, óleo e gás, mineração e sua logística vêm enfrentando transformações significativas nas últimas três décadas, obrigando as empresas a considerarem o impacto socioambiental provocado por suas atividades produtivas.

O meio ambiente e competitividade hoje não são mais antagônicos, empresas já perceberam que preservar o meio ambiente pode ser um bom negócio não só pela imagem da instituição perante a mídia, mas como uma questão de sobrevivência conservando os recursos naturais.

A adoção de uma gestão sustentável efetiva voltada para a responsabilidade socioambiental em inúmeras empresas tem alterado o comportamento anteriormente adotado pela administração, cuja preocupação era tão somente atender aos requisitos das leis, normas e clientes, acreditavam que ter um departamento de QSMS-RS só para dizer que tinham era o suficiente.

É nítido que as organizações estão cada vez mais adotando uma gestão que privilegia o conceito de responsabilidade social corporativa, procurando preservar o meio ambiente e adicionar valor à comunidade.

A responsabilidade socioambiental das empresas tem como fundamento o princípio do desenvolvimento sustentável, razão pela qual o progresso social, a proteção ambiental e o desenvolvimento econômico são seus elementos interdependentes e inseparáveis.

Visando garantir às presentes e futuras gerações uma sociedade mais próspera e justa, com uma melhor qualidade de vida, procurando minimizar os impactos ambientais negativos e maximizar os efeitos positivos advindos de sua atividade.

A produção social da riqueza na modernidade traz como consequência a produção social do risco sendo o principal efeito a crescente exposição do homem a riscos de contaminação ambiental até então não observados, os quais ameaçam também os ecossistemas.

As corporações qualquer que sejam sua atividade têm considerado os aspectos preventivos de controle ambiental como estratégicos para a sua sobrevivência empresarial.

Adequar-se à legislação ambiental vigente e suas normas estabelecidas pelas agências de controle ambiental não é mais suficiente, fazendo com que diversas empresas apresentem desempenho superior ao exigido pelas normas ambientais mostrados em seus relatórios de Sustentabilidade, demonstrando assim atitude pró ativas com relação ao meio ambiente.

Cada vez mais a indústria e toda sua logística estão experimentando e assumindo riscos para enfrentar os desafios socioambientais.

Trata-se de processo muito complexo e que não se pode permitir retrocessos.

Os erros devem ser encarados como fator imponderável do processo de aprendizagem.

Como acidentes, que infelizmente acontecem é uma combinação de causas que vão desde decisões gerenciais até falhas humanas e dos equipamentos.

É necessário que sejam desenvolvidos, além de um sistema de gestão que contemple a gestão sustentável, como também um gerenciamento de risco aliado a uma cultura preventiva nas organizações capaz de evitar decisões e ações que possam desencadear os eventos de grande impacto socioambiental.

Estamos juntos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *