Você já leu o manual de segurança?


Você já leu o manual de segurança?

Experimente perguntar;

Você conhece ou já leu o manual/procedimento de segurança da sua empresa/unidade?

Pergunte aos seus diretores ou melhor, a todos colaboradores da sua empresa.

E envie as repostas, se quiser para meu e-mail e assim você não vai se comprometer, rsrsrsrrsrsr.

Mas preste atenção quando perguntar!!!!!!

Não é se somente passou os olhos, ou leu o índice, ou dizer que já ouviu falar!

Quero dizer: Leu mesmo?

Como se estivesse tentando aprender!!!!!

Já perdi a conta de quantas vezes na minha carreira eu tive a oportunidade de assumir um programa incipiente de segurança, um manual feito só para certificação ou para inglês ver.

Em que todos seguiam, ou melhor sabiam que existiam e nunca tinham prestado atenção ou não davam a mínima.

Este foi um dos choques de realidade das diferenças de cultura de segurança forte quando saí das indústrias química, óleo e gás e mineração e fui para construção civil!!

Claro que teve uma exceção, com uma empresa da construção civil pesada que tinha uma cultura de QSMS-RS e Sustentabilidade muito forte e com uma liderança por exemplo dos diretores.

Em algumas situações que enfrentei, o discurso dos gestores e o website eram lindos, bem escritos e até comoventes.

Mas na hora de seguir ou aplicar o manual, como acumulei desconforto e fui questionado rispidamente por somente seguir o que estava estabelecido.

E também encontrei desafios em todas as vezes que tive de elaborar a revisão obrigatória do manual de segurança (quando conseguia), era um desafio interessante.

Não só por ter que enfrentar o ego de quem elaborou ou de alguma consultoria que deve ter cobrado uma fortuna.

Mas também por significar uma evolução do manual/procedimento que requisitava discussões, participações em comitês de segurança e principalmente a participação de todos os departamentos (esse então quase impossível).

Mexer em algo que ninguém conhecia, mas tinha dono, nunca foi fácil.

Falar de segurança, todos falam, mas participar, entender e seguir é outra conversa.

Como se pode gerir um programa de segurança sem saber as condições especificas de segurança do local?

Mas por quê?

Porque alguns manuais/procedimentos foram elaborados por alguém que pensava que um manual de segurança deveria ser lido como um manual de normas técnicas, e que são inúmeras e muito bem elaboradas por sinal.

Eram meticulosamente, ponto por ponto cópias das normas técnicas, convenientemente, fornecendo os tópicos para os colaboradores seguirem.

Eles não se concentravam nas perspectivas do local, como a cultura da região, das características do próprio segmento e das circunstâncias de onde se encontrava.

Centravam-se no conhecimento do autor das normas, ou melhor, a habilidade do autor para copiar os padrões que todos conhecem.

Ao elaborar o manual de segurança, deve se mencionar entre muitas outras peculiaridades, somente uma vez as normas em que se baseia e pronto.

Na primeira página de preferência onde a instrução é necessária, como:

“A finalidade deste manual é fornecer orientações de segurança para os funcionários da empresa XPTO e em conformidade com as normas XXXXXXXX.”

Um manual de segurança não é um boletim técnico, é uma ferramenta para instruir seus colaboradores nas políticas de segurança da empresa.

Os funcionários não precisam ser especialistas nas normas, que é trabalho do profissional de segurança.

Eles precisam saber como fazer seus trabalhos com segurança.

E não ficar tentando decifrar um manual de segurança incompreensível.

Se o seu manual de segurança fica em uma prateleira, intocado e sem uso, melhor começar a repensar e enxergar com outros olhos.

Seja honesto com você mesmo, faça uma análise crítica e questione:

É ilegível seu manual /procedimento segurança?

Agora uma dica: Aos que mais bradam que a segurança é superimportante e estão sempre criticando o departamento de QSMS-RS e Sustentabilidade, não custa perguntar.

Você já leu o manual/procedimento de segurança da empresa que você trabalha???

Aguardo as repostas.

Estamos juntos !

Publicado em 14 de junho de 2016

Os Mais Vistos
PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA, VOCÊ JÁ LEU? PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA, VOCÊ JÁ LEU? Não sei se é por causa de ter começado minha carreira profissional em área de alto risco, ter tido ...
02 – APRENDA COM MEUS ERROS, GESTÃO DE RISCO... 02 - APRENDA COM MEUS ERROS, GESTÃO DE RISCOS EM QSMS-RS Quais são os cenários de risco em QSMS-RS da sua empresa? Como podem ser identificados? Como...
07- Aprenda com meus erros, percepção de risco. Quando recebi a missão de ser o Gestor de QSMS-RS e Sustentabilidade, na construção de um porto, ferrovia e eletrificação através da selva subsaar...
DEVE O DEPARTAMENTO DE QSMS-RS GERENCIAR O QSMS-RS...  O típico organograma corporativo não é o mais o mesmo ! Evoluiu da grande quantidade de caixinhas para uma estrutura mais limpa, linhas pontilha...

Sobre Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe uma resposta