A QUESTÃO AMBIENTAL NO RUMO DAS DECISÕES CORPORATIVAS 1 Comentário


 

Após grandes desastres ambientais é impressionante como o tema proteção ao meio ambiente volta as discussões!
Infelizmente tem que acontecer uma tragédia para o assunto volta a mídia e a as organizações.

E como consequência, por um bom tempo nós gestores de sustentabilidade e QSMS-RS temos toda atenção voltada para nosso trabalho por parte dos stakeholders, sendo questionados e pressionados para verificar se estamos em compliance ou não!

NÃO EXISTE ZONA DE CONFORTO EM NOSSO DEPARTAMENTO, nossa responsabilidade com os impactos socioambientais é imensa e precisamos estar atentos SEMPRE, não só na questão de compliance, mas monitorando todas nossas atividades.

A discussão da sustentabilidade, como condição básica e indispensável para o desenvolvimento de qualquer organização, há muito saiu do campo teórico para fazer parte das decisões estratégicas de empresas.

É uma questão de sobrevivência neste mercado global e cada vez mais competitivo.

O Brasil está inserido nesse contexto, tanto em função dos efeitos da globalização da economia que inviabiliza exportações de bens produzidos à margem das exigências ambientais, quanto em função da sua necessidade de busca de investimentos externos.

A partir de uma visão de uma economia transnacional, as empresas visam não apenas o lucro, mas uma maximização das parcelas de mercado e de comércio. Dessa forma, a questão das barreiras ecológicas no comércio internacional tem um papel vital.

Estas, surgem quando empresas exportadoras sofrem discriminação por barreiras tarifárias ambientais, técnicas ou de certificação.

Outra limitação aparece quando as empresas são dependentes de financiamento de agências internacionais de desenvolvimento que exigem estudos especiais de avaliação de impactos ambientais, para a liberação de recursos financeiros.

Empresas multinacionais são suscetíveis a exigências ambientais por parte de acionistas, consumidores externos e da legislação de origem de seus mercados exportadores.

Uma empresa moderna não pode prescindir de uma gestão de sustentabilidade e QSMS-RS.

A implantação da gestão de sustentabilidade aumenta o potencial competitivo da organização.

A percepção da sociedade brasileira dos problemas socioambientais está crescendo não só através de jornais e de televisão, mas também pela educação ambiental que vem sendo ministrada nas escolas.

Em consequência a atitude da sociedade em relação ao meio ambiente vem evoluindo gradativamente.

E por último, a legislação ambiental, em especial a Lei 9605/98, (lei de Crimes Ambientais) estará sempre acompanhando todos os movimentos bem de perto, levando as empresas a reformularem todos os seus procedimentos em relação questão ambiental por bem ou por mal.

Exemplos na mídia não faltam.

Estamos juntos!

 

Os Mais Vistos
GESTÃO DE SUSTENTABILIDADE /QSMS-RS COERÊNCIA ENTR... Empresas, pelo menos em seu website, que possuem uma politica de QSMS-RS, certificações e algumas ações sociais já não são mais novidade, mas......
Valor Compartilhado & Sustentabilidade Valor Compartilhado & Sustentabilidade Um dos maiores desafios no âmbito da sustentabilidade é definir o que ela demanda das empresas. O q...
O que a indústria espera do seu Gestor de QSMS-RS ...   Qual a função do gestor de Sustentabilidade e QSMS-RS? Simples e direto: Dar resultado a as partes interessadas. Sim ,você é responsável pelo ...
AÇÕES EM QSMS-RS E SUSTENTABILIDADE. QUAL O RESULT... E Assistindo os noticiários sobre empresas que  estão parando sua produção por falta de água em São Paulo . E em outras situações e regiões , u...

Sobre Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .


Deixe uma resposta

Um pensamento em “A QUESTÃO AMBIENTAL NO RUMO DAS DECISÕES CORPORATIVAS

  • Magnus Canto - engenheiro de QSMS

    Também acha que só falamos sobre acidentes depois que eles acontecem , a falta de uma cultura de prevenção é grande .Muito bom seu artigo e ponto de vista Parabéns