MARKETING, SUSTENTABILIDADE E PREVENCÃO AMBIENTAL


 

Sustentabilidade e desenvolvimento econômico não são mais ideais incompatíveis, e hoje caminham lado a lado.

O desenvolvimento sustentável, no qual é o exercício da atividade econômica mediante utilização racional dos recursos naturais, sem impacto ambiental.

Faz parte do cotidiano do exercício das atividades públicas e privadas no mundo atual.

E com grande tendência de nossa sociedade, passar a ter maior percepção da importância sobre a questão ambiental, principalmente quando afetadas diretamente.

Indústrias podem parar a qualquer momento por falta de água”

Já é noticia comum, por exemplo, que as indústrias nos estados de São Paulo e Rio de janeiro pensam em racionalizar a água para seu consumo e a palavra paralização é comentada com certa naturalidade.

A que pontos nós chegamos!

Nem nos meus tempos de estudante eco chato, poderia imaginar assistir tal situação nos dias de hoje, principalmente nesses estados.

Imagino o tremendo prejuízo a essas indústrias com a falta de um recurso básico para sua produção como a água ou energia, não será surpresa se algumas vierem a fechar as portas independentes de seu tamanho.

Quando gestor de sustentabilidade & QSMS-RS sempre mantive em mente que uma das maiores atribuições do cargo seria implantar uma cultura de sustentabilidade entre os colaboradores principalmente na questão consumo de água e energia visando razões econômicas.

Mas nunca imaginei que o pior pudesse acontecer que sem uma politica sustentável implantada na organização, poderia fechar as portas por falta destes recursos.

Que responsabilidade!

E essa é a mais dura realidade para quem não tem ou nem pensar ser uma empresa sustentável.

A indústria, forçada pela pressão e esclarecimento do mercado, requer tratamento preventivo quanto às questões ambientais.

E preocupar-se com a gestão ambiental como forma de sobrevivência das gerações futuras, deve se explorá-la com garantia de êxito como ferramenta de marketing.

Afinal, ter uma gestão sustentável alinhada ao desenvolvimento econômico é a maior missão das grandes corporações nos próximos anos.

Não só as indústrias como os governantes, para exemplificar, encontram-se expostos à mídia a todo instante na questão ambiental e suas catástrofes.

Sendo sua imagem arranhada com perda de credibilidade perante a sociedade.

Tornou-se imprescindível, alinhado ao resultado do negócio, o aprendizado de uma gestão de sustentável em seu gerenciamento.

E os conhecimentos relativos à gestão ambiental necessitam ser estendidos às partes interessadas no processo.

E por quê?

A resposta é simples: Se os acionistas de uma empresa não cuidarem e racionalizarem o uso do meio ambiente onde atuam, estará comprometendo o futuro de seu próprio negócio.

Não obstante, seu concorrente poderá agir de forma sustentável , e além de captar o cliente defensor do meio ambiente através do seu marketing, também por tabela servirá de exemplo para os órgãos ambientais, os quais se acharão na obrigação de fechar todo àquele que não estiver enquadrado na legislação ambiental.

A gestão de sustentabilidade na indústria busca sempre uma solução econômica e tecnicamente viável na qual exige um trabalho da equipe não só da área de sustentabilidade, mas como todos os colaboradores.

Esta gestão deverá ser abordada de maneira bem esclarecida porque envolve:

Auditorias ambientais, eliminar pontos de poluição, passivos ambientais, redução de custos operacionais (consumo de energia, água, gás e outros insumos), reciclagem de lixo, melhoria da imagem corporativa, e, acima de tudo, conscientização e educação ambiental dos colaboradores e clientes através de orientação e informação úteis ao desenvolvimento e sucesso do projeto a ser realizado através do seu marketing.

Essa evolução não deve ser enfocada como um empecilho à atividade industrial seja qual for seu ramo.

Trata-se de uma garantia de um mundo melhor para todos e de uma nova ferramenta de marketing.

Os que exercem atividade que implique em degradação do meio ambiente e como consequências causam grandes impactos à comunidade a sua volta, devem adotar medidas emergenciais a fim de que não seja alcançado pelo crivo da legislação.

Uma vez marcada como inimiga do meio ambiente, difícil se livrar deste estigma perante a sociedade com aumento da consciência ecológica global.

E empresas que não implantarem um sistema de gestão de sustentabilidade, o seu maior pesadelo poderá se tornar realidade:”Fechar as Portas”

Ou por falta de racionalização dos recursos naturais ou pela própria sociedade renegando seu produto por agredir o meio ambiente.

E haja marketing para reverter à situação!

Estamos Juntos!

 

Publicado em 7 de outubro de 2014

Os Mais Vistos
GESTÃO DE SUSTENTABILIDADE /QSMS-RS COERÊNCIA ENTR... Empresas, pelo menos em seu website, que possuem uma politica de QSMS-RS, certificações e algumas ações sociais já não são mais novidade, mas......
MUDANÇAS CLIMÁTICAS. SEU NEGÓCIO ESTA PREPARADO?... Participando em um fórum com empresários sobre a importância da sustentabilidade nos negócios para exportação. Fui bastante sabatinado sobre a nece...
Por que sua organização precisa de um Diretor de S... Por que sua organização precisa de um Diretor de Sustentabilidade e QSMS-RS? Organogramas executivos normalmente possuem caixinhas para determinar ...
AQUISIÇÕES , FUSÕES E IPOs . O PASSIVO AMBIENTAL... A presença do termo passivo ambiental no noticiário se tornou corriqueiro após os acontecimentos em Barcarena (PA) e em Mariana (MG). Também ti...

Sobre Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos de alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África e Oriente Médio como Mars, Queiroz Galvao Internacional e Odebrecht Internacional e Imerys .

Deixe uma resposta