Importância da gestão do SGI (QSMS-RS & Sustentabilidade) nas Indústrias de Energia, Mineração e Óleo & Gás como fator decisivo nas tomadas de decisão.


Notice: Undefined offset: 1 in /home/robertor/public_html/wp-includes/media.php on line 67

Importância da gestão do SGI (QSMS-RS & Sustentabilidade) nas Indústrias de Energia, Mineração e Óleo & Gás como fator decisivo nas tomadas de decisão.

Quando comecei a trabalhar na área, os departamentos de seg. do trabalho, meio ambiente e qualidade não se comunicavam e possuíam visões diferentes de suas funções.

O Objetivo era dar “resultado”, mas nem sempre foi desta maneira, criando vários embaraços para a organização, principalmente quando esta, aparecia na mídia por causa de alguma crise (acidentes).

Com tempo me tornei um fã incondicional do SGI (depois de apanhar muito e assistir certos acontecimentos) e ser contra as divisões de setores que tem muito em comum.

Os profissionais envolvidos no SGI além de possuírem formação especifica de cada área de sua atuação, tem uma visão comum de como trabalhar em organizações, afinal estudaram e se qualificaram para tal, com isso, as tomadas de decisões, estratégias traçadas passam ser mais fáceis de serem executados e sem dúvida ajuda e muito na análise crítica do desenvolvimento das ações, uma vez que estão todas interligadas.

Já se vai um tempo em que as empresas vêm adotando ferramentas de qualidade, como 5S, qualidade total, ISO 9001, para gestão da organização e adquirirem melhoria de desempenho dentro do mercado que atuam.

Entretanto as exigências dos clientes atuais não se restringem apenas à questão relacionadas com o produto final, mas também com o processo de produção e as consequências dele para a sociedade e seus impactos socio ambientais.

Desta forma as organizações se deparam com a necessidade de gerenciar entre outros diversos fatores como: sustentabilidade corporativa, prevenção a acidentes tanto do trabalho e ambientais, relacionamento com as comunidades, qualidade de vida e saúde dos trabalhadores e agora pelos ODSs.

Da mesma forma que a gestão pela qualidade, esses fatores também têm que atender padrões já estabelecidos como normas ISO, e outras normas que sugiram dentro dos países de forma geral, com o objetivo de garantir que as normas ambientais e de respeito à saúde e segurança dos trabalhadores sejam respeitadas.

Atualmente muitas empresas não estão utilizando somente o gerenciamento pela qualidade baseado na nas normas ISO 9001.

Baseiam-se também no gerenciamento ambiental baseado na norma ISO 14001 e no gerenciamento da saúde ocupacional e segurança no trabalho baseado na especificação ISO 45001 e na ISO 26000 sobre responsabilidade social de forma integrada.

E se decide, exportar ou buscar a financiamento internacionais, adotar os padrões foi IFC, princípios do Equador, Miga e outros são fundamentais.

Não podemos esquecer que muitos ainda, estão abraçando os ODS, que nada menos são 17 objetivos, 169 metas e 304 indicadores.

UFA!!!!!

É assim que urge a integração no SGI, Sistema de Gestão integrada.

A gestão do SGI não é para amadores, achistas e acadêmicos e tão pouco pode estar longe da realidade quando a comunicação da organização, que muitas vezes acabam sendo responsáveis pela Sustentabiliade corporativa e não tem a menor ideia de como é a gestão do SGI em uma grande organização.

Qualquer deslize põe tudo por água abaixo.

Exemplos não faltam na mídia, então por experiência própria incluiria no SGI, a análise de riscos socioambientais também como parte essencial nas decisões no do SGI.

O SGI entre outros objetivos tem como missão principal unir o atendimento às normas de forma simultânea para os pontos comuns, como, por exemplo: No processo de aquisição ou fornecedores devem ser verificados tanto as especificações técnicas, como as especificações ambientais, sociais e de saúde e segurança no trabalho.

Ressalto que o conceito de SGI desta forma se amplia, pois, o cliente não leva somente em conta as características do produto ou serviço, mesmo que esse já contemple um valor agregado.

Ele também busca uma maior coerência ambiental e uma garantia que não está comprado de empresas que não respeitam os seus funcionários e o meio ambiente.

Embora pareça utopia, ou até demagogia, pois algumas empresas utilizam essas ferramentas apenas para se destacarem no mercado (green washing), sem a real conscientização do assunto, é notório de que é uma realidade que está se tornando cada vez mais presente na nossa sociedade.

E mesmo não conseguindo fazer que o atendimento a esses requisitos seja algo decorrente de uma conscientização real da alta direção, só o atendimento aos requisitos legais já é um grande passo, principalmente para o Brasil.

Não é o suficiente para o seu cesso empresarial, mas pelo menos mostra que deseja estar em compliance, afinal de contas, nossa legislação, o mercado globalizado e a sociedade no geral cobram caro a quem não der a menor importancia ao SGI

“Não existirá empresa no futuro que a sociedade não queira “

Estamos juntos!