CULTURA ORGANIZACIONAL FATOR CHAVE NA PREVENÇÃO 2 Comentários


Cultura organizacional de Sustentabilidade e QSMS-RS como fator chave na prevenção a acidentes do trabalho e ambientais.

Em início de carreira trabalhei em perfurações e terminais petroquímicos desde o mar do norte até o delta na Nigéria .

Passando por grandes obras de infraestrutura  e mineração  na  África e no Oriente .

Em todos estes locais ,o principal assunto do dia a dia entre nós colaboradores era preocupação com os acidentes de trabalho, acidentes ambientais e falta de controle de qualidade nas instalações independente de cada região ou projeto.

E ao que se devia esta preocupação?

Sem duvida a cultura organizacional da empresa em que todos acreditavam e defendiam.

Como é importante a empresa ter sua cultura enraizada e como facilita o trabalho de um gestor.

Pode escrever a mais linda politica, ter seus procedimentos muito bem escritos e ninguém acreditar e seguir os preceitos na organização.

Acredito que hoje  seja mais intensa esta preocupação com a sustentabilidade empresarial  do que no passado, entretanto toda esta consciência existe quando há uma cultura organizacional de QSMS-RS  e Sustentabilidade forte .

Onde todos acreditam e compartilham sempre buscando melhorar a prevenção e minimizar os riscos.

Da pequena a maior empresa se faz necessária à implantação de uma política de gestão voltada à prevenção, e ser bem difundida entre seus colaboradores se torna um grande desafio, pois é uma questão de sobrevivência neste mercado cada vez mais exigente e competitivo.

Sustentabilidade e QSMS-RS são custo !!!, Já ouvi esta frase não sei quantas vezes em reuniões, mas isso é um passado que não cabe mais ser discutido.

Surgem todos os dias em manchetes notícias de acidentes de trabalho e acidentes ambientais.

Muitos  são de erros e omissões do passado.

Descobrem-se comunidades instaladas em áreas com passivo ambiental, vazamentos de óleo tanto em terra como em corpos hídricos, colaboradores que não tinham nenhum treinamento para aquela função e o resultado ?

Acidentes! e mais passivo ambiental !

Quanto custa a imagem de uma empresa ligada a estes acidentes? Qual a marca vai querer sua imagem associada a esta parceira? Qual a instituição financeira que deseja associar seu nome com um projeto desta?

Contratar e dar responsabilidade a pessoas que não tem muita bagagem e não são comprometidas com cultura da empresa resulta muito mais caro do que contratar pessoas alinhadas e com experiência real na linha de frente!

Dentro das corporações precisa se falar mais de prevenção e da possibilidade de se evitar tais acidentes e evitar a junção de fatores que poderá acarretar tais danos.

E isso só vem através de conscientização, treinamento e a implantação de uma cultura organizacional forte de QSMS-RS e sua politica de sustentabilidade.

A participação do RH é crucial para o sucesso neste processo, este tem que estar alinhado com o QSMS-RS e a real necessidade de motivação para a implantação e manutenção da cultura da empresa.

Tive a felicidade de trabalhar em empresas que a cultura de QSMS-RS e Sustentabilidade era bem incorporada como um VALOR  e muito bem divulgada graças ao RH e o apoio da diretoria.

Também tive em empresas que tinham uma política excelente, mas a cultura não estava disseminada e enraizada.

E por experiência própria, quando isso acontece o trabalho do QSMS-RS passa ser em dobro nesta situação.

Em vez de focar na sustentabilidade do seu negócio o gestor também tem que fazer o trabalho de implantar o comportamento em relação a uma politica de QSMS/Sustentabilidade da empresa em varias áreas, e sem apoio do RH fica difícil.

É importante para o posicionamento das empresas no Brasil e principalmente no exterior perante investidores e instituições financeiras internacionais a seriedade desta matéria.

Participei de longas reuniões com essas instituições independentes do continente ou do tipo de projeto na qual que tinha de expor taxas de acidentes, planos e a politica de QSMS e Sustentabilidade para que autorizassem os financiamentos dos projetos!

Como os acidentes são uma combinação de causas que vão desde não seguir os procedimentos, decisões gerenciais, falhas humanas e dos equipamentos é necessário que sejam desenvolvidos além de um sistema de gestão que contemple o gerenciamento de riscos, uma cultura preventiva nas organizações capaz de evitar decisões e ações que possam desencadear os eventos catastróficos.

Dessa forma, a cultura organizacional em QSMS-RS e Sustentabilidade é um fator chave na prevenção, sendo talvez o maior desafio para que o nível de excelência seja atingido.

Estamos Juntos !

Os Mais Vistos
GESTÃO DE SUSTENTABILIDADE /QSMS-RS COERÊNCIA ENTR... Empresas, pelo menos em seu website, que possuem uma politica de QSMS-RS, certificações e algumas ações sociais já não são mais novidade, mas......
EM SUSTENTABILIADE E QSMS-RS, SEM INVESTIMENTO NÃ... Dois grandes empresários, meus amigos, em uma festa ao descobrirem que estava de volta ao Brasil, me pediram auxílio, pois estavam gastando uma fo...
AÇÃO PREVENTIVA E PRONTA RESPOSTA AS EMERGÊNCIAS A...   Prevenção, segundo o dicionário , significa ato ou efeito de prevenir-se, ou seja, fazer ou ver antes. Pensando desta forma, qualquer i...
Governança e Cultura Corporativa em Sustentabilida... Tanto Governança e uma Cultura Corporativa não existem se não houver forte comprometimento por parte dos acionistas, conselheiros, CEO e diretores. ...

Sobre Roberto Roche

Roberto Roche ao longo de três décadas consolidou sua experiência exercendo vários cargos até alcançar a alta direção em QSMS–RS & Sustentabilidade nas áreas de Óleo & Gás, Construção Civil Pesada, Montagem Industrial, Portos e Mineração em mais de 15 países na América Latina, África, Asia e Oriente Médio em empresas como : Mars, Queiroz Galvao Internacional , Odebrecht Internacional e IMERYS . Autor de diverso artigos sobre Sustentabilidade ,QSMS, Gestão de Ambiental, Emergência Ambiental, Comportamento Seguro e Análise de Risco socioambiental.


Deixe uma resposta

2 pensamentos em “CULTURA ORGANIZACIONAL FATOR CHAVE NA PREVENÇÃO